13/09/2018 20h51
coitado do coitado.. Rosa Pena

Há quem reclame que colocamos fotos bonitas na rede. E alguém coloca foto feia em porta-retratos? Aqui é mais. É uma galeria. 
Eu só não gosto de receber dois tipos de fotos : A que não é a fulana (falsa) e as em que a pessoa está mal, muito doente e a dita cuja ou a família cisma em compartilhar o momento íntimo de dor com milhares de outras que nunca viu e talvez jamais verá.
A se expor coloca a mais bonita, o seu melhor ângulo, um momento "tchan" e deixa os que não são amigos se mordendo de raiva. A ira é bem melhor que a dó. Não gosto de ser coitada. Coitado é o miserável, desgraçado, infeliz ou o corno. 
Pobre coitado de quem gosta de ser coitado.

Rosa Pena


Publicado por Rosa Pena em 13/09/2018 às 20h51
Copyright © 2018. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
 
24/06/2018 18h57
Quem?

 

 

 

 

andré dahmer


Publicado por Rosa Pena em 24/06/2018 às 18h57
Copyright © 2018. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
 
06/03/2018 18h57
Ausência de lágrimas

Ausência de lágrimas
Rosa Pena

Hoje acordei pensando que cada noite deveria ser duas. Não quero ser duas pessoas. Quero o tempo de duas noites.
Sinto que sou amante de “Macbeth”. Foi ele quem assassinou o sono? Sou prima-irmã do Souza Cruz. Não sei quem inventou o cigarro, então vai ele mesmo.

Acho que devia ter nascido lésbica, apesar de que não ia segurar o preconceito dos heteros, que são de dois tipos: os que te odeiam pela frente e os que te odeiam pelas costas. E também adoro homem, sexualmente falando.

Acho que estou sofrendo um “desequilíbrio químico, um curto-circuito das minhas combinações nervosas”. Porque a única coisa que sei, neste exato momento, é que... as noites são minhas companheiras; o cigarro é meu amigo do peito (amigo traidor, mas só vou descobrir depois que estiver ferrada); as mulheres são as únicas que estão conseguindo me ouvir.

Sinto meu coração vazio de fantasias. Não tenho por quem sonhar.
Parei de chorar em filmes românticos, e Djavan já não me emociona.

Quero sentir pena da Maria, em Esperança, e ficar arrasada com amores impossíveis. Preciso de um segredo.

Nunca rifaria meu coração, como aqui na net já li... Mas o alugo... Sim, a um homem que me permita amá-lo. Nada exijo do meu inquilino. Apenas peço a ele a permissão de usá-lo como meu muso inspirador. E de vez em quando uma palavra de afeto.

Essa palavra que me daria o direito de sonhar com o impossível que seja, mas preencheria este vazio absurdo que estou sentindo.

Tá doendo, a ausência de lágrimas.


2001

Livro/ Com Licença da Palavra
.


 ps: parei de fumar em 2008
Minha obra completa em meu site pessoal.Clique
:www.rosapena.com

 


Publicado por Rosa Pena em 06/03/2018 às 18h57
Copyright © 2018. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
 
01/12/2017 17h51
https://velhaguerreira.blogspot.com.br

Publicado por Rosa Pena em 01/12/2017 às 17h51
Copyright © 2017. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
 
16/06/2017 18h44
tu e eu


Publicado por Rosa Pena em 16/06/2017 às 18h44
Copyright © 2017. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.



Página 2 de 54 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 » [«anterior] [próxima»]





Site do Escritor criado por Recanto das Letras
art by kate weiss design