Peter Pan

Rosa Pena




Porque seu sorriso de fé desafia qualquer medo, porque você me despe de convenção e me veste de você, porque nenhum lugar contigo vira comum, porque seus dedos fazem tão bem cafuné que brotam mechas até em carecas, porque você vira berço quando me sinto recém-nascida, porque seus olhos transformam mulheres em flores, porque não tem Gancho algum que segure seus anseios, porque nunca vamos crescer, eu lhe decreto meu Peter Pan. Me dá sua mão e me leva contigo até a janela da casa onde se realizam sonhos.
 Até a Sininho, mesmo sentindo ciúmes de mim, consentirá em fazer plim-plim

Rosa Pena
Enviado por Rosa Pena em 04/12/2004
Alterado em 31/10/2008
Copyright © 2004. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.





Site do Escritor criado por Recanto das Letras
art by kate weiss design