Vingança

Rosa Pena


Ontem
foi só euforia
teve festa,
dança.
No copo
as marcas do meu batom
do bolero,
nossos passos no chão.
Minha roupa
ainda perfumada
cheiro de homem
tudo que assanha.

Hoje!

Navego sem mapa.
Vontade do pranto.
Sofá perdido no canto.
CDs sem capa
na mesa restos da lasagna
garrafas vazias
suspiro -Ai, ai!
Agora uma pergunta válida.
- Qual é a tua cara pálida?
Antes da resposta
a massa era Sadia
o vinho do Paraguai.
Dá a maior azia!

2005
Rosa Pena
Enviado por Rosa Pena em 15/02/2005
Alterado em 31/10/2008
Copyright © 2005. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.





Site do Escritor criado por Recanto das Letras
art by kate weiss design