$$$$$Coitada$$$$$
Rosa Pena

 

$empre desconfiei que não sabia o que era amor. 
Percebi pequena ainda e fui crescendo com olhar comprido para tamanha indiferença com o belo gratuito. Um jardim, uma praia, um por do sol, um chorinho de criança. Bonito era um anel de brilhante.
Nunca a vi triste com tristeza de ninguém, e dar força não era apoiar. Era emprestar dinheiro e depois jogar na cara.. 
Qualquer diferença na maneira de pensar ou viver, virava briga e toda e qualquer mágoa não era passada a limpo. Virava munição na hora do novo arranca rabo. 
Inventava personagens para enganar os de fora. Um deles era a de abnegada, que tudo fazia pelos seus. Ela acreditava geral nisso. Criou um quarto de hóspedes para fantasmas entre outros.. (benefícios para si própria)..
Nunca pediu desculpas por nada. Estranha arrogância dos que não conseguem isso. Mas eu os perdôo pela babaquice. 
Não fala. Grita. Não escuta e sempre discorda. 
Ríspida e amarga. 
Não suspira para não perder tempo com os encantos da vida. 
Tempo é $.Coitada!
Rosa Pena
Enviado por Rosa Pena em 06/08/2019
Alterado em 06/08/2019
Copyright © 2019. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.





Site do Escritor criado por Recanto das Letras
art by kate weiss design