coisa  duvidosa

                   Rosa Pena
 
... Onde está o regulamento que lhe obriga a ser magra, de cabelos lisos, ter pelo menos um filho, ainda que de produção independente? Ter um ficante e ir pra night, mais ainda, gostar da noite? Quem disse que só velho é quem acorda cedo? Algum imbecil que sofre de insônia. Ter carro zero todo ano ou inversamente, curtir pobreza para pegar bem com os pseudos da casa do chapéu, estar sempre alegre, fazer iôga, pois yóga é passado, não ter o direito a se lamentar por nada, ouvir babacas contestando o seu astral quando vivem inventando um passado para justificar o presente de merda, saber escolher um prato em Paris com o vinho certo, ser publicada em sites de intelectuais!? Ou jornais que alguns determinaram como o máximo em literatura. 
He he! Você não é forçada a achar foda o que os outros acham. Casa de veraneio em Angra, adotar um animal, ter uma conta ativa no Face, usar #hashtag, WhatsApp, Twitter, Instagram. 
Não, não é necessário ter o que não quer para não ficar constrangida nesse mundo de mil aplicativos. Não se force a sambar no ritmo dos  antenadinhos de merda. 

Permita-se a achar um porre lanches comemorativos , filmes do festival de Cannes, prosas e poesias de “alguns” que se consagraram na Net ou mesmo uma Fernanda Torres que deveria ter ficado só atriz. 
Ama a solidão? Curta-a. Seja! Sem falsidade, sem chapinha, sem pretinho básico, sem querer causar. Coma o que quiser, o que faz mal hoje, amanhã fará bem. Vá para onde tiver vontade sem ele ou ela, tenha um currículo fraco ou um espetacular, contrarie o Google, odeie cheiros estrangeiros e curta alfazema... (mas, porém, todavia, contudo, pode ser exatamente ao contrário) que no final, será tão feliz ou infeliz como quem se desdobrou para atender as tendências ou exigências de algum fariseu que se acha o “pica das galáxias”.

 Fez dieta, se publicou para guardar os livros num quartinho, gastou salários numa bolsa francesa, usou escapulário, se enturmou com as bandas independentes criadas nas garagens da vida, imaginou-se um sucesso e foi uma imensa mentira.
Quem disse que o cara da foto ta malvestido? Ta é um charme.
Você não estava comprometida com nada quando nasceu.
Que tal morrer sem compromisso? 


 
(foto:Stranger in the City)
Rosa Pena
Enviado por Rosa Pena em 20/07/2016
Alterado em 22/07/2016

Música: the good,the bad and the ugly - ennio morricone

Copyright © 2016. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.





Site do Escritor criado por Recanto das Letras
art by kate weiss design