Tempo para o tempo

Rosa Pena
 

Durante todo o dia senti uma ansiedade crescente em mim. Não existe cura para essa minha agonia permanente, nada apazígua o tumulto que cultivo. 
Engordei em minhas férias na Toscana. Resolvi correr para acelerar meu emagrecimento. Arrumei um
cisto filho da puta chamado de Baker. Nem sabia que ele existia, nunca fiz nada ao "cara" e estou padecendo imóvel com uma dor divinal e o joelho imenso. Duas semanas brincando de estátua e comendo mais do que na Itália e sabe-se lá por quanto ainda... 

Ter tempo de sobra.. Dá uma saudade incomensurável de tudo, de todos e em especial de alguns (que nem constam da biografia oficial). Vinte e quatro horas vezes quatorze (dias) é um bom período! Insatisfatório para descansar de vez a cabeça, mas suficiente para esvazia-la de algumas babaquices.

Trezentas e trinta e seis horas dão para desacreditar de algumas coisas e reafirmar outras tantas. 
Alexandre, ontem, carregou minha netinha no colo durante um bom tempo e eu senti meu coração quentinho. 

Tempo para agradecer por estar perto de uns, lamentar a distância de outros e dar graças pelas léguas e léguas a perder de vista de quem sumiu na vida e na memória. 

Gostei de ver o sorriso da Vanessa com a casa nova. 
Tempo para colher! 

Lulu hoje vai nadar com a mamãe dela. Minha filha readquiriu o sorriso. Lindo! Elas viraram realmente uma dupla.
Tempo para o tempo. 

Continuo com a olímpica (está na moda) dor no joelho, tudo me parece confuso! Tudo vai mal- tudo vai bem- estou longe - estou perto- sinto alegrias- tristezas e brinco... 
Dois e dois são cinco?
Rosa Pena
Enviado por Rosa Pena em 13/07/2016
Alterado em 14/07/2016

Música: Andorinha - Tom Jobim

Copyright © 2016. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.





Site do Escritor criado por Recanto das Letras
art by kate weiss design