O sonho de ontem
Rosa Pena


 
Esta saudade danada
quando aperta...
É  como o balanço da lombada
na estrada deserta.
Não sinaliza
nem avisa
Na placa se lê:

 Ainda amo você.
Nossas cartas?
 Não dou.
Também não aposto.
O pouco que restou?
É o muito que eu  gosto.

*


Rosa?

que pena...
solta todas as penas
só de saudade
num sonho
que se de ontem
cola todas as penas
apenas num único
cocar
o último que restou.

............... Hércio Afonso
 
Rosa Pena
Enviado por Rosa Pena em 04/06/2014
Alterado em 05/06/2014

Música: misty - dave brubeck & s

Copyright © 2014. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.





Site do Escritor criado por Recanto das Letras
art by kate weiss design